18/Dec/2018
Terça-Feira - 18 de Dezembro de 2018
(89) 9 9417-4175
(89) 9 9417-4175

Política

PP e PT divergem na escolha do representante ao Senado destas eleições

Por: Roberto - 11/07/2018

PPN-IMG-aa8f3bf7bcd5c5834cee.jpg

Apesar de o governador Wellington Dias apoiar a reeleição de Ciro Nogueira ao Senado, alguns petistas não linearam o voto a partir da aliança firmada entre o PP e o PT no Piauí.

O presidente estadual do Partido Progressistas, o deputado Júlio Arcoverde, falou sobre o apoio do PP à reeleição de Wellington Dias. Segundo ele, o partido abriu mão da vaga na disputa para vice, que teria o nome de Margarete Coelho, para que o governador trabalhasse a chapa majoritária, para que Wellington Dias pudesse englobar o maior número de partidos.

Júlio Arcoverde falou que o presidente nacional do PP, Ciro Nogueira, tem grande apoio do Partido dos Trabalhadores, que compõe coligação com o PP nestas eleições. Segundo ele, o único petista que não estaria apoiando a pré-candidatura de Ciro ao Senado, seria o prefeito de Picos, Walmir Lima.

“Eu só conheço um setor do Piauí que não vota no senador Ciro, é o Padre prefeito de Picos [ José Walmir Lima]”, comentou. O deputado reconheceu também que há progressistas que não votam em petistas e que isso é normal na política. “Tem alguns setores do Progressistas que também não votam no governador Wellington Dias”, falou.

Já o presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Assis Carvalho, falou que no momento atual deve-se dar prioridade à formação das chapas e só depois é que serão discutidas as escolhas dos nomes.

“A eleição é muito subjetiva, aqui e em todo lugar do mundo, nós temos gente do PT que pode não votar no Ciro, e tem gente do PP que pode não votar na Regina. É um jogo democrático, nós vamos estar dialogando na hora oportuna, tão logo registram as chapas e vamos fazer o diálogo com o partido. Eu só acho que neste momento, nós temos que tomar a primeira providência que é organizar as chapas, não cabe agora falar em quem eu voto ou quem não voto”, definiu.

Assis carvalho falou que após o registro das chapas é que os coligados farão reuniões e definirão o destino dos candidatos piauienses. O petista falou também que depois das convenções será feito um trabalho em todo estado, sobretudo em Picos, para tentar reeleger a senadora Regina Sousa.

“Depois das convenções nós vamos discutir com a sociedade, com todo mundo, inclusive com Picos, porque eu quero que Picos ajude a reeleger a Regina. Tomando a decisão diferente, naturalmente vai estar tirando voto da nossa senadora. […] O PT precisa de voto para eleger a Regina, então se o PT declara que não vota no aliado, dá direito ao aliado dizer que não vota na Regina e aí quem se beneficia com isso é Wilson Martins. Então essa é uma decisão que cabe ao líder político tomar com muita responsabilidade”, destacou Assis Carvalho.

Além de Regina Sousa (PT) e Ciro Nogueira (PP), no Piauí há ainda os nomes de Wilson Martins (PSB), Jesus Rodrigues (PSOL), Dr. Pessoa (Solidariedade), entre outros, que almejam vaga no Senado Piauiense.

Grandepicos

Facebook
Twitter
Horóscopo
Eventos