20/Aug/2018
Segunda-Feira - 20 de Agosto de 2018
(89) 9 9417-4175
(89) 9 9417-4175

Entretenimento

Famoso cantor chama Jesus de “travesti” e advogado exige a sua prisão

Por: Adilon Shalom - 04/08/2018

PPN-IMG-577d53d288875be73295.jpg

 

Johnny Hooker (Foto: Divulgação)

O cantor Johnny Hooker se envolveu em uma polêmica na última sexta-feira (27), durante um dos seus shows, quando saiu em defesa de um monólogo chamado Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, no qual o personagem principal é interpretado pela artista transexual Renata de Carvalho.

Censurado judicialmente por desembargadores e a Ordem dos Pastores Evangélicos, o espetáculo ganhou a defesa de Johnny, que disparou: “E se Jesus voltasse agora à terra como uma travesti? Não era para amar ao próximo como a si mesmo? Estamos aqui num festival de falso viva à liberdade”.

“Pois, eu quero dizer que Jesus também é travesti”, completou ele, que levantou um coro entre a multidão, dizendo: “Ih ih ih, Jesus é travesti”. Parte do público, no entanto, vaiou a situação e o cantor disparou: “Enfia a vaia no c*”. Após toda a situação, ele agora é ameaçado de ser preso.

O advogado Jethro Ferreira, da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas, prestou queixa dizendo que o artista ofendeu os cristãos infringindo as leis penais, alegando que “as pessoas que professam a fé cristã têm a pessoa de Jesus Cristo como uma pessoa do sexo masculino, heterossexual”.

“Qualquer afirmativa diferente desses dogmas é considerada uma ofensa à fé cristã”, disparou ele, alegando ainda que se baseia no artigo 20 da Lei Federal nº 7.716.

Johnny Hooker (Foto: Reprodução)

Segundo tal lei, quem “pratica, induz ou incita a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional” está sujeito a uma pena de reclusão de um a três anos e multa.

Já segundo o 280 do Código Penal, “escarnecer de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa, impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso, vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso” pode levar de um mês a um ano de detenção ou multa.

Segundo o Diário de Pernambuco, o advogado pede a instauração de um inquérito policial para apurar o caso, com designação de um delegado especial, oitiva de testemunhas, realização de perícias e interrogatório do cantor Johnny Hooker, que poderá ter a prisão preventiva caso não compareça à polícia.

Confira o vídeo:

Loading video

Confira o vídeo:

 

FONTE: TV FOCO

Facebook
Twitter
Horóscopo
Eventos