19/Aug/2019
Segunda-Feira - 19 de Agosto de 2019
(89) 9 9417-4175
(89) 9 9417-4175

Geral

Projeto prevê 300 cisternas para o semiárido do Piauí

Por: Roberto - 19/07/2019

PPN-IMG-288ce098b3ed424fafde.jpg

Comunidades afetadas pela seca no semiárido dos territórios do Vale do Itaim e da Serra da Capivara deverão ser beneficiadas com 300 cisternas calçadão até o final de 2019. A ação faz parte do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e foi anunciada em uma reunião nesta quinta-feira (18).

Dentre as cidades e comunidades contempladas estão Simões, Curral Novo, Betânia, Serra da Capivara e Serra do Inácio. As cisternas contam com volume de 56 mil litros de água para abastecer agricultores familiares da região.

A escassez de água é um dos principais campos de atuação do programa da ONU no Piauí. O tema da convivência com a seca e o impacto de grandes investimentos em energia na região do semiárido recebem a atenção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovidos pela ONU.

Para Maurilo Oliveira, coordenador do PNUD no Piauí, além da escassez hídrica há outros gargalos para o desenvolvimento social no semiárido do Piauí. “Problemas ambientais, educação com qualificação e universalização da saúde. O passo inicial é fazer esse levantamento de dados”, explicou.

No Piauí o PNUD vem trabalhando desde 2018.  São cerca de R$ 2,5 milhões do Governo Federal e R$ 2,5 milhões de uma empresa privada de energia eólica que atua na região.

“Apelidamos os ODS de Fundo de Desenvolvimento Social porque ele reúne ações do Estado, sociedade civil e da iniciativa privada em prol de desenvolvimento”, Rejane Tavares, superintendente de planejamento estratégico do Estado, que atua em parceria com o Pnud.

Rejane Tavares, superintendente de planejamento estratégico do Estado

Resíduos Sólidos O tema dos resíduos sólidos também é um alvo prioritário do programa. Ligado a qualidade da água, o descarte do lixo na região também está sendo analisado pelo PNUD. “Uma região de fronteira não consegue resolver o problema dos resíduos sólidos só de um lado. A poluição impacta a questão hídrica porque os mananciais e açudes acabam sendo afetados”, alertou Rejane.

Uma das alternativas adotadas é a colaboração interestadual em áreas de divisa.

IDH O objetivo é que o Índice de Desenvolvimento Humano do Piauí chegue a 0,8 até 2023. A agenda dos ODS, por sua vez, vai até 2030 com 17 objetivos que devem se estender para outras regiões do Piauí nos próximos anos.

Univasf A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) se insere na ação regional auxiliando na gestão dos mananciais. “Eles vão ajudar no mapeamento dos recursos hídricos e propor ações de gestão e revitalização de nascentes”, destacou Rejane.

Edital O PNUD adiantou que planeja lançar um edital em agosto deste ano para fomento de empresas e organizações que promovem sustentabilidade. “Vamos selecionar iniciativas de impacto social e ambiental e, juntamente com o Sebrae, dar apoio técnico para que ganhem escala”, destacou Maurilo.

FONTE: Cidade Verde

Facebook
Twitter
Horóscopo
Eventos