14/Aug/2020
Sexta-Feira - 14 de Agosto de 2020
(89) 9 9417-4175
(89) 9 9417-4175

Saúde

Enfermeira do Hospital Justino Luz fala sobre mudanças no trabalho após o surgimento da Covid-19

Por: Roberto - 05/06/2020

PPN-IMG-c6f09bd7a0492bd46326.jpg

O trabalho em hospitais, como se sabe, é bastante corrido e tem se tornado ainda mais em decorrência dos casos de Covid-19. Os profissionais que estão na linha de frente, tratando dos infectados e suspeitos, tiveram que readaptar os hábitos e redobrar os cuidados consigo e com os pacientes. É a realidade de instituições de saúde no mundo todo, inclusive do Hospital Regional Justino Luz de Picos (HRJL). A enfermeira Yara Ferreira Leite, que trabalha diretamente com pacientes testados positivo, explica como tem sido a sua rotina.

“A nossa rotina de trabalho mudou totalmente desde o início dessa pandemia. E principalmente a minha, visto que trabalhava no setor de Urgência e Emergência Adulta (SPA) e fui remanejada para trabalhar somente na área ‘Covid’ desde o começo da pandemia, além disso, novas equipes foram contratadas para atender a crescente demanda, novos setores, número de pacientes Covid cada vez maior com casos confirmados e suspeitos. A complexidade se dá por ser uma doença nova e sem muitos estudos científicos acerca do assunto”, diz a enfermeira.

Yara ao lado dos colegas de trabalho

Além das alterações na forma de trabalho, os profissionais da saúde tiveram que redobrar os cuidados ao utilizar EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), objetos essenciais para a manutenção e proteção dos profissionais da saúde e dos pacientes. Yara Ferreira declarou as dificuldades de passar o dia todo com máscara, um dos equipamentos de proteção.

“Não é nada confortável trabalhar 12 ou 24 horas com uma máscara N95, porque independente de se trabalhar com paciente Covid ou não, como a transmissão na nossa área já é comunitária, devemos ter toda uma preocupação no atendimento a todos os pacientes, até porque muitas vezes, os sintomas da doença são assintomáticos, ou seja, na maior parte a pessoa infectada pelo vírus ainda nem sabe do seu contágio”, declara a profissional.

Por Dalila Pereira/Estagiária

boletimdosertao

Facebook
Twitter
Horóscopo
Eventos